Ejaculação precoce, O que fazer e não fazer no tratamento

O tratamento da ejaculação precoce consiste em 2 etapas: adotamos de rotina a medicação injetável intracavernosa (primeira etapa) como meio de dar aos pacientes a certeza de ele será capaz de obter e manter a sua ereção mesmo que ejacule precocemente. Isso dará ao paciente condição de manter a penetração por longos 60 ou 90 minutos.

Sendo capaz de manter a sua ereção por mais tempo, o paciente se vê mantendo relação sexual sem se preocupar como orgasmo, pois mesmo que já tenha gozado, ele mantém o pênis ereto para dar prazer à sua parceira com a penetração vaginal.  Com isso ele diminui a sua ansiedade o que facilita a segunda etapa do tratamento que é o acompanhamento psicológico. É fundamental o acompanhamento psicológico do paciente, de preferência do casal. Assim o psicólogo orienta a maneira como o homem poderá perceber e controlar as sensações que antecedem o momento do orgasmo e à medida que o homem começa a controlar a sua ejaculação, o psicólogo orienta para a diminuição gradual da dose do medicamento injetado, sendo que ao final de 2 a 3 meses esses pacientes recebem alta.

O que pode fazer para ejaculação precoce

O uso de alguns produtos podem ser benéfico ao clientes que sofrem de ejaculação precoce. Produtos naturais que podem beneficiar o relacionamento sempre são bem vindo, não estamos falando de remédios que tem efeitos colaterais.

Há produtos naturais altamente eficazes no tratamento e na duração da ereção, o Macho Macho Man é líder de vendas na categoria de aumento de pênis e manter ereções por mais tempo e rígido.

O que não fazer no tratamento

Somos contra o que a maioria dos médicos faz para tratar a ejaculação rápida. Ao contrário deles, não prescrevemos Viagra e outros comprimidos orais para o seu tratamento, pois sabemos que ninguém gosta de tomar remédio a vida inteira. As vantagens iniciais de se obter e manter a ereção às custas desses comprimidos logo se transformam em frustração quando esses pacientes se vêem dependentes da medicação oral e incapazes de ter uma relação sexual por seus próprios meios e méritos.

A preocupação que antes era de não conseguir controlar a ejaculação, agora é de não esquecer de comprar, de levar e de tomar o remédio uma hora antes da relação. Na verdade esse paciente não resolveu o seu problema, apenas trocou um problema pelo outro.

Contra-indicamos a cirurgia de desnervação do pênis para o tratamento da ejaculação precoce, pois o pênis é um órgão ricamente inervado por natureza. Alguns centros médicos “medem” a sensibilidade do pênis dos seus pacientes, tentando convencê-los da necessidade de realizar essa cirurgia. Como vimos aqui, a ejaculação precoce não é fruto de uma “hipersensibilidade peniana” e sim de uma grande expectativa emocional, geralmente aliada a pouca prática sexual.